Maserati

Como tantas outras casas de superesportivos que nasceram nas últimas décadas, a italiana Maserati sempre sofreu com problemas financeiros. Campeã na Fórmula 1 antes da própria Ferrari, a pequena montadora tem participação íntima nas competições, de onde colheu vitórias, tecnologia e fama.
A marca do tridente, em uma homenagem ao brasão do deus Neturno, quase desapareceu por "exagerar" nos tais problemas financeiros. Na década de 80, sob o comando da De Tomaso, perdeu também aquilo que tinha de mais valisoso: o charme. Em uma tentativa frustada de aumentar as vendas, a direção da empresa resolveu popularizar a família Maserati, criando motores de quatro cilindros em carrocerias de porte compacto. Foi um desastre. Encampada pelo grupo Fiat, a Maserati ainda ganharia, em 1997, uma outra empresa para dirigi-la. Entrou em cena a Ferrari. Acostumada a viabilizar lucros produzindo um pequeno volume de unidades, a marca de Maranello saneou financeiramente a ex-adversária e introduziu novos conceitos de marketing e de produção capazes de devlover à marca o prestígio perdido.


  Maserati 3200GT

         Maserati MC12 

            

©2007 Felipe Lima Penha  - Todos os direitos reservados